lifestyle

Museu do Oriente exibe 70 exemplares raros da cultura textil timorense

SAPO TL, 10 de dezembro de 2019

partilhar
Email
×

Por favor verifique os campos assinalados.

Este artigo foi partilhado com sucesso com .

Um conjunto de 70 exemplares raros da cultura timorense, na produção têxtil da arte local 'tais', vai ser exibido no Museu do Oriente, em Lisboa, a partir de 12 de dezembro.

“Timor: Totems e Traços” é o título desta exposição com testemunhos raros das tradições e diversidade regional de Timor, segundo o museu, que inaugura naquele dia às 18:30.

Esta exposição reúne cerca de 70 exemplares, oriundos de Timor Ocidental e Timor-Leste, datados do século XX ou de anteriores, que testemunham um tipo de produção artesanal feita por mulheres em teares tradicionais de madeira.

A maioria das peças pertence à coleção de um dos maiores especialistas na área, Peter ten Hoopen, e algumas são consideradas bastante raras, pela técnica e padrões utilizados, bem como pela sua proveniência de Timor-Leste, indica o museu.

Peter ten Hoopen começou a interessar-se por esta arte timorense no final dos anos 1970, mas só a partir de 2010 é que decidiu colecioná-la e estudá-la ativamente.

“Quando lidamos com uma cultura que está a desaparecer rapidamente, mais do que colecionar peças emblemáticas, importa preservar o conhecimento nelas contido. Se a transferência tradicional de conhecimentos saltar uma geração, esse conhecimento perde-se para sempre. É por isso que vejo esta coleção como um projeto de património cultural, e não apenas um somatório de objetos”, explica o colecionador, num texto citado pelo museu.

Grande parte destes panos, tecidos pelas mulheres de uma linhagem, era guardado, sendo considerado património dessa linhagem e necessário para as trocas rituais em cerimónias de aliança, casamento, nascimento e morte.

O longo período de agitação política vivido por toda a ilha, a partir da década de 70 do século XX, as alterações do estilo de vida das populações e o desinteresse a que este artigo de vestuário foi entretanto votado, por se considerar já não estar ‘na moda’, fez com que grande parte do seu património têxtil fosse destruído.

No dia 13, sexta-feira, às 11:30, Peter ten Hoopen orienta uma visita a “Timor: Totems e Traços”, de entrada gratuita.

A mostra fica patente até 15 de março de 2020.

Fonte: Agência Lusa

comentários